Avaliação agronômica de genótipos de amendoim na região oeste do estado de São Paulo

Autores

  • Marcel Rodrigo Bazanella Amenco Peanuts
  • Jair Heuert Programa de Melhoramento do Amendoim-Embrapa https://orcid.org/0000-0002-2064-4263
  • Maxuel Fellipe Nunes Xavier IFMT Campus São Vicente – Centro de Referência de Campo Verde, Campo Verde, MT. https://orcid.org/0000-0003-0822-4992
  • Nelson Dias Suassuna Núcleo Cerrado – Embrapa Algodão, Santo Antônio de Goiás, GO.
  • Taís de Moraes Falleiro Suassuna Programa de Melhoramento do Amendoim – Embrapa, Santo Antônio de Goiás, GO. https://orcid.org/0000-0002-6360-5168

DOI:

https://doi.org/10.52755/sas.v2iedesp1.141

Palavras-chave:

Arachis hypogaea L., Programa de Melhoramento, Produtividade

Resumo

Este trabalho objetivou a avaliação agronômica de genótipos de amendoim na região oeste do estado de São Paulo. O experimento foi conduzido na área de produção comercial da Amenco Peanuts, localizado no município de Getulina-SP, na região oeste do estado de São Paulo, no ano agrícola 2020/21. Foi implantado no dia 17 de dezembro de 2020, fora do período ideal de semeadura, justamente para que fosse possível avaliar em condições extremas o potencial produtivo e as características agronômicas dos genótipos. O delineamento experimental utilizado foi em blocos casualizados, com quatro repetições. Os tratamentos foram treze genótipos de amendoim, sendo onze linhagens (2091 OL, 2133 OL, 1253 OL, 2131 OL, 2110 OL, 2136 OL, 2010 OL, 2101 OL, 2056 OL, 1876 OL e 2250 OL), uma cultivar (BRS 423 OL), todas desenvolvidas pelo Programa de Melhoramento do Amendoim da Embrapa e uma cultivar argentina da El Carmen (Granoleico). As parcelas eram constituídas por duas linhas de três metros de comprimento, com espaçamento de 0,90 m e área da parcela de 5,4 m2. Foram avaliadas severidade de mancha preta, massa de 100 grãos e produtividade de vagens. Com base no presente estudo de campo, conclui-se que as menores notas de severidade foram obtidas com os genótipos BRS 423 OL e 2091 OL. As maiores massas de 100 grãos foram constatadas com o 2010 OL e 1253 OL. Por fim, as maiores produtividades foram obtidas com 2010 OL, 2110 OL, 2101 OL, BRS 423 OL, 2136 OL, 1253 OL e 2133 OL.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marcel Rodrigo Bazanella, Amenco Peanuts

Amenco Peanuts. E-mail: marcel.rodrigo@amenco.com.br, Tupã, SP.

Jair Heuert, Programa de Melhoramento do Amendoim-Embrapa

Programa de Melhoramento do Amendoim – Embrapa, Santo Antônio de Goiás, GO. E-mail: jair.heuert@embrapa.br.

Maxuel Fellipe Nunes Xavier, IFMT Campus São Vicente – Centro de Referência de Campo Verde, Campo Verde, MT.

Discente de Agronomia do IFMT Campus São Vicente – Centro de Referência de Campo Verde, Campo Verde, MT.  E-mail: maxuelfellipe90@gmail.com

Nelson Dias Suassuna, Núcleo Cerrado – Embrapa Algodão, Santo Antônio de Goiás, GO.

Núcleo Cerrado – Embrapa Algodão, Santo Antônio de Goiás, GO. E-mail:  nelson.suassuna@embrapa.br.

Taís de Moraes Falleiro Suassuna, Programa de Melhoramento do Amendoim – Embrapa, Santo Antônio de Goiás, GO.

Programa de Melhoramento do Amendoim – Embrapa, Santo Antônio de Goiás, GO. E-mail: tais.suassuna@embrapa.br.

Publicado

2021-09-30

Edição

Seção

Anais do XVIII Encontro Sobre a Cultura do Amendoim - 2021