Avaliação agronômica de genótipos de amendoim no Sudeste do estado do Mato Grosso

Autores

  • Maxsuel Antonio Rodrigues Discente de Agronomia do IFMT Campus São Vicente – Centro de Referência de Campo Verde, Campo Verde, MT. E-mail: maxsuel12ar@gmail.com. https://orcid.org/0000-0002-3624-9727
  • Alexandre Caetano Perozini Docente do IFMT Campus São Vicente – Centro de Referência de Campo Verde, Campo Verde, MT E-mail: alexandre.perozini@svc.ifmt.edu.br,.
  • Daniele Fernandes Campos Discente de Agronomia do IFMT Campus São Vicente – Centro de Referência de Campo Verde, Campo Verde, MT E-mail: daniele.fernandes@yahoo.com.
  • Maxuel Fellipe Nunes Xavier Discente de Agronomia do IFMT Campus São Vicente – Centro de Referência de Campo Verde, Campo Verde, MT E-mail: maxuelfellipe90@gmail.com. https://orcid.org/0000-0003-0822-4992
  • Jair Heuert Programa de Melhoramento do Amendoim-Embrapa https://orcid.org/0000-0002-2064-4263
  • Taís de Moraes Falleiro Suassuna Programa de Melhoramento do Amendoim – Embrapa, Santo Antônio de Goiás, GO E-mail: tais.suassuna@embrapa.br. https://orcid.org/0000-0002-6360-5168

DOI:

https://doi.org/10.52755/sas.v2iedesp1.115

Palavras-chave:

Arachis hypogaea L., Programa de Melhoramento, Produtividade

Resumo

O presente trabalho teve como objetivo avaliar as características agronômicas de genótipos de amendoim na região sudeste do estado do Mato Grosso. O experimento foi instalado na área experimental do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Mato Grosso – Campus São Vicente, Centro de Referência de Campo Verde, localizado no município de Campo Verde – MT, no ano agrícola 2020/21. O delineamento experimental utilizado foi em blocos casualizados, com quatro repetições. Os tratamentos foram dez genótipos de amendoim rasteiro, sendo duas cultivares: BRS 421 OL, BRS 423 OL e oito linhagens: 1253 OL, 2055 OL, 2091 OL, 2101 OL, 2110 OL, 2133 OL, 2136 OL e 2259 OL. As parcelas eram compostas por duas linhas de três metros de comprimento, espaçamento entre linhas de 0,90 m, intervalo entre parcelas de dois metros e parcela útil 5,4 m2. Foram avaliados altura de plantas aos 32, 40, 56, 66, 77, 90, 104 e 118 dias após o plantio (DAP), severidade de mancha preta, massa de 100 grãos e produtividade de vagens. As alturas de plantas dos genótipos não diferiram entre si somente aos 32 DAP. As linhagens 2091 OL e 2133 OL apresentaram as menores notas de severidade de mancha preta. A maior massa de 100 grãos foi obtida com a cultivar BRS 421 OL. As maiores produtividades foram observadas nas linhagens 2055 OL, 2110 OL e 2091 OL, sendo que a linhagem 2091 OL também teve a menor nota de severidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Publicado

2021-09-30

Edição

Seção

Anais do XVIII Encontro Sobre a Cultura do Amendoim - 2021