Desempenho agronômico de genótipos de amendoim nas condições de Santo Antônio do Leste-MT

Autores

  • Fabiano de Souza Agulhon Agulhon Agroindustrial Ltda., Santo Antônio do Leste, MT, fabianoagulhon@yahoo.com.br https://orcid.org/0000-0003-2542-2843
  • Jair Heuert Programa de Melhoramento do Amendoim – Embrapa, Santo Antônio de Goiás, GO, jair.heuert@embrapa.br https://orcid.org/0000-0002-2064-4263
  • Kennedy Brunno de Brito Martins Programa de Melhoramento do Amendoim – Embrapa, Santo Antônio de Goiás, GO, kennedybrunno22@gmail.com https://orcid.org/0000-0001-6513-7524
  • Maxuel Fellipe Nunes Xavier Discente de Agronomia do IFMT Campus São Vicente – Centro de Referência de Campo Verde, Campo Verde, MT, maxuelfellipe90@gmail.com https://orcid.org/0000-0003-0822-4992
  • Taís de Moraes Falleiro Suassuna Programa de Melhoramento do Amendoim – Embrapa, Santo Antônio de Goiás, GO, tais.suassuna@embrapa.br: https://orcid.org/0000-0002-6360-5168

DOI:

https://doi.org/10.17648/sas.v1i1.21

Palavras-chave:

Arachis hypogaea L., Programa de Melhoramento, Produtividade, Amendoim em Mato Grosso

Resumo

Objetivou-se avaliar desempenho agronômico de genótipos de amendoim nas condições de Santo Antônio do Leste-MT. O experimento foi instalado em área de culturas anuais na Fazenda Santo Antônio, localizada no município de Santo Antônio do Leste-MT, com altitude média de 620 metros, na safra 2019/20, utilizando o sistema de cultivo convencional, com semeadura realizada no dia 30 de outubro de 2019. O delineamento experimental utilizado foi em blocos casualizados, com quatro repetições e nove tratamentos, sendo eles seis linhagens: 17-1253 OL, 18-1952 OL, 18-1973 OL, 18-2091 OL, 18-2133 OL, 18-2136 OL e três cultivares: BRS 421 OL, BRS 423 OL e BRS 425 OL desenvolvidas pelo Programa de Melhoramento do Amendoim da Embrapa. As parcelas foram constituídas por duas linhas de três metros de comprimento, com intervalo de três metros entre parcelas, espaçamentos entre linhas de noventa centímetros. O estande médio estabelecido foi de 15 plantas por metro linear. Aos 130 dias após a semeadura (DAE), foi realizada a inversão mecanizada das plantas, e avaliado massa de 100 grãos (g) e produtividade de vagens (kg ha-1). As linhagens 18-1973 OL, 18-2091 OL, 17-1253 OL e 18-2133 OL foram as mais produtivas nas condições edafoclimáticas do Cerrado Mato-Grossense, com produtividades superiores a 6.300 kg ha-1.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Publicado

2020-10-14

Edição

Seção

Anais do XVII Encontro Sobre a Cultura do Amendoim