Avaliação agronômica de genótipos de amendoim no Médio Norte do estado do Mato Grosso

Autores

  • Dácio Olibone Professor do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Mato Grosso - IFMT, Sorriso, MT. E-mail: dacio.olibone@srs.ifmt.edu.br. https://orcid.org/0000-0001-8900-1023
  • Jair Heuert Programa de Melhoramento do Amendoim – Embrapa, Santo Antônio de Goiás, GO. E-mail: jair.heuert@embrapa.br. https://orcid.org/0000-0002-2064-4263
  • Ana Paula Encide Olibone Professora do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Mato Grosso - IFMT, Sorriso, MT. E-mail: e-mail: ana.olibone@srs.ifmt.edu.br.
  • Marianitha Mariano Silva Duarte Discente de Engenharia Agronômica, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Mato Grosso - IFMT, Sorriso, MT. E-mail: e-mail: marianithamariano@gmail.com. https://orcid.org/0000-0001-7875-7917
  • Sergio Soares Filho Discente de Engenharia Agronômica, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Mato Grosso - IFMT, Sorriso, MT. E-mail: sergios7soares@gmail.com. https://orcid.org/0000-0003-0461-3616
  • Taís de Moraes Falleiro Suassuna Programa de Melhoramento do Amendoim – Embrapa, Santo Antônio de Goiás, GO. E-mail: tais.suassuna@embrapa.br.

DOI:

https://doi.org/10.52755/sas.v2iedesp1.123

Palavras-chave:

Arachis hypogaea L., Amendoim em Mato Grosso, Programa de Melhoramento, PRODUTIVIDADE

Resumo

Este trabalho foi desenvolvido com o objetivo de realizar uma avaliação agronômica de genótipos de amendoim no Médio Norte do estado do Mato Grosso. O experimento foi desenvolvido no ano agrícola 2020/21 com semeadura manual no dia 06 de janeiro de 2021, na área experimental do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Mato Grosso – Campus Sorriso, localizado no município de Sorriso-MT. O delineamento experimental foi em blocos casualizados, com quatro repetições. Os tratamentos foram dez genótipos de amendoim rasteiro, duas cultivares: BRS 421 OL, BRS 423 OL e oito linhagens: 1253 OL, 2055 OL, 2091 OL, 2101 OL, 2110 OL, 2133 OL, 2136 OL e 2259 OL, desenvolvidas pelo PMA da EMBRAPA. As parcelas foram compostas por duas linhas de três metros de comprimento, espaçamento entre linhas de 0,90 m, intervalo entre parcelas de dois metros e parcela útil 5,4 m2. Foram avaliados severidade de mancha preta (Cercosporidium personatum), massa de 100 grãos (g), rendimento (%) e produtividade de vagens (kg ha-1 e sacas alqueire-1). Houve diferença significativa entre os genótipos avaliados para severidade de mancha preta, massa de 100 grãos, rendimento e produtividade. Os menores valores de severidades foram observados nas cultivares BRS 421 OL e BRS 423 OL, sendo que as sementes de maior tamanho também foram observadas na BRS 421 OL. As maiores produtividades foram obtidas no BRS 421 OL, 2101 OL, 2259 OL, 2055 OL e 1253 OL, com variável tamanho de sementes entre estes genótipos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Publicado

2021-09-30

Edição

Seção

Anais do XVIII Encontro Sobre a Cultura do Amendoim - 2021