Adaptabilidade de genótipos de amendoim IAC às condições do cerrado mato-grossense

Autores

DOI:

https://doi.org/10.52755/sas.v2iedesp2.138

Palavras-chave:

Arachis hypogaea L., Produtividade, Cercosporidium personatum

Resumo

O amendoim que anteriormente ficava restrito às áreas de renovação de canavial no estado de São Paulo, principal produtor, hoje abrange outro cenário despertando o interesse de produtores de outras regiões. Assim é necessário a avaliação de genótipos do Programa de Melhoramento do IAC às condições do Cerrado Mato-Grossense. Neste trabalho, a adaptabilidade e produtividade de amendoim em vagens nas condições de Sorriso-MT, foram avaliadas. Para isso, o experimento foi conduzido em blocos inteiramente casualizados, com 11 genótipos desenvolvidos pelo IAC (as cultivares IAC 503, IAC 505, IAC OL3, IAC OL5, IAC OL6, IAC Sempre Verde e as linhagens IAC 1120, IAC 1127, IAC 1129, IAC 10719 e IAC 10677) e quatro repetições. As parcelas foram compostas por quatro linhas espaçadas 0,90 m entre si e 4 m de comprimento. Aos 138 dias após a semeadura, antes da colheita foi avaliado a severidade de mancha preta (Cercosporidium personatum). Posteriormente, as plantas da área útil foram colhidas manualmente para determinação da produtividade de vagens, rendimento de grãos e massa de 100 grãos. Os dados foram submetidos à análise de variância pelo teste F e as médias dos tratamentos foram agrupadas pelo teste de Scott-Knott a 5% de probabilidade. Os genótipos testados não apresentaram diferença de produtividade, mas destaca-se a produtividade do genótipo 10667 tendo potencial como nova cultivar. A massa de 100 grãos, rendimento de grãos e severidade de C. personatum apresentou diferença entre os genótipos. Nas condições experimentais, todos os genótipos apresentaram ótima adaptabilidade produtiva e moderada incidência de doença e a cultivar IAC Sempre Verde não apresentou incidência de mancha preta.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Dacio Olibone, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Mato Grosso - IFMT

Professor do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Mato Grosso - IFMT, Sorriso, MT, dacio.olibone@srs.ifmt.edu.br.

Marianitha Mariano Silva Duarte, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Mato Grosso - IFMT

Discente de Engenharia Agronômica, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Mato Grosso - IFMT, Sorriso, MT, e-mail: marianithamariano@gmail.com.

Ignácio José de Godoy, Instituto Agronômico de Campinas

Pesquisador Científico do IAC, e-mail: ignacio.godoy@sp.gov.br.

Ana Paula Encide Olibone , Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Mato Grosso - IFMT

Professora do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Mato Grosso - IFMT, Sorriso, MT, e-mail: ana.olibone@srs.ifmt.edu.br

Sergio Soares Filho, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Mato Grosso - IFMT

Discente de Engenharia Agronômica, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Mato Grosso - IFMT, Sorriso, MT, e-mail: sergios7soares@gmail.com. 

Rodolfo Pires Ribeiro, Beatrice Comércio Importação e Exportação de Amendoim Ltda.

Engenheiro Agrônomo, Beatrice Comércio Importação e Exportação de Amendoim Ltda. Tupã-SP, e-mail: rodolfopiresribeiro@gmail.com. 

Publicado

2021-09-30